Bem vindo(a)! Você pode filtrar informações específicas da sede mais próxima de você, através da caixa à direita:

Resoluções de Assembléias

Nova Acrópole / Resoluções de Assembléias

Declaração Geral – 2018

ATA DA ASSEMBLEIA GERAL ORDINÁRIA DA OINA

DE 12 DE ABRIL DE 2018

A Assembleia Geral da OINA teve lugar na cidade de Paris (França), no Hotel Hilton Paris Charles De Gaulle Airport.

DECLARAÇÃO GERAL

A Assembleia Geral da OINA aprova:

A) A Assembleia Geral da OINA reafirma a necessidade de permitir o acesso de todos ao conhecimento, e propõe três vias originais: a Filosofia, a Cultura, e o Voluntariado, tendo em conta a necessidade de fomentar os valores de uma ética cívica para o século XXI.

B) A Assembleia Geral recorda que a finalidade das Escolas de Filosofia “à maneira clássica” é educar todos os seres humanos sem distinção, para que todos possam viver com dignidade, e compreender sua utilidade na sociedade e no mundo.

A OINA recorda que, para atuar de maneira efetiva na sociedade de nosso tempo, os seres humanos necessitam apoiar suas ações em estruturas organizativas que lhes dotem dos instrumentos oportunos para resolver os novos desafios políticos, econômicos, sociais e ambientais que oprimem a sociedade de nosso tempo, com a finalidade de promover a melhora das relações humanas, tal como  especificado nos Princípios da Carta da OINA.

C) A Assembleia Geral reafirma continuar desenvolvendo a ação da OINA e sua participação ativa na sociedade junto a Instituições e Organismos públicos e privados.

D) A Assembleia Geral recorda que a humanidade, em seu conjunto, resolveu defender a dignidade humana em todos os lugares e em todas as circunstâncias e, com esse espírito, as Nações Unidas adotaram a Declaração Universal de Direitos Humanos como “o ideal comum que todos os povos e nações devem alcançar”; o referido ocorreu no dia 10 de dezembro de 1948, e por essa razão é que, em 2018, comemora-se seu 70° aniversário.

A Assembleia Geral convida cada uma das Associações nacionais  aderentes à OINA a fazer eco dessa comemoração no decurso de suas  atividades.

A Assembleia reitera sua vocação de continuar colaborando com os Princípios que inspiram a Organização das Nações Unidas, conforme também se depreende dos Princípios da Organização Internacional Nova Acrópole.

Com efeito, o Primeiro Princípio de sua Carta de Fundação apresenta justamente a ideia de “promover um Ideal de fraternidade internacional baseado no respeito à dignidade humana, para além das diferenças raciais, de sexo, culturais, religiosas, sociais ou de outra natureza”.

E) A Assembleia Geral da OINA propõe a suas Associações aderentes continuar estabelecendo relações institucionais com os organismos internacionais cujos fins sejam comuns e quando existam aspectos coincidentes para a colaboração mútua.

Em consonância com o anterior, insta a participação das Associações aderentes nas Redes institucionais de caráter regional ou global.

F) A Assembleia Geral da OINA faz eco da convocatória realizada pelo Secretário Geral das Nações Unidas, Antonio Guterres, em sua mensagem de Ano Novo 2018, que indicou “sinal vermelho” à intensificação dos conflitos internacionais, ao incremento das armas nucleares, à mudança climática, às desigualdades, à violação dos direitos humanos, aos nacionalismos e à xenofobia. A Assembleia Geral da OINA coincide com a proposta de Antonio Guterres de “alcançar a unidade da comunidade internacional reduzindo as diferenças e unindo as pessoas, superando as divisões e alcançando objetivos comuns e valores compartilhados, com o objetivo de fazer de nosso mundo um lugar mais seguro”, na medida em que a OINA vem realizando, em mais de sessenta países no mundo e nos cinco continentes, esse mesmo trabalho, por meio de suas mais de quatrocentos e trinta delegações no mundo, durante os últimos sessenta anos de trabalho pela paz, união e dignidade de todos os seres humanos.

G) Desde seus inícios, a OINA promove em suas Escolas de Filosofia o fomento de uma educação baseada em direitos humanos, para que os seres humanos de todo o mundo conheçam seus direitos e os dos demais, e possam desenvolver o serviço aos outros.

H) Também propõe continuar com o desenvolvimento e atividades dos grupos de atividade ecológica que fomentem a educação dos seres humanos na preservação do meio ambiente, e os sistemas de ajuda e sobrevivência em caso de desastres naturais.

Declaração Geral – 2016

ASSEMBLEIA GERAL DA OINA 2016
DECLARAÇÃO GERAL

A) A Assembleia Geral da OINA reafirma sua vontade de desenvolver as suas três linhas de trabalho: Filosofia, Cultura e Voluntariado, para permitir o acesso de todos a um verdadeiro conhecimento frente à violência, ao medo e à perda de valores essenciais de nossas sociedades atuais, como vetor de reconstrução moral com valores espirituais que unam a todos os seres humanos.

A Assembleia Geral convida a cada uma das Associações nacionais que fazem parte da OINA a desenvolvê-las em suas atividades.

Para isso, a OINA reafirma sua ação preventiva e construtiva tanto em relação à Sociedade quanto em relação à Natureza, promovendo a necessária consciência para participar e colaborar de maneira ativa em iniciativas úteis e afins às que desenvolve a OINA.

B) A Assembleia Geral recorda a necessidade de prosseguir no desenvolvimento das Escolas de Filosofia à maneira clássica como o melhor instrumento de formação e educação. Pois a Filosofia tem aplicações práticas que melhoram e dão sentido à vida e fazem mais felizes aos seres humanos.

A OINA recorda que a formação filosófica promove o aspecto essencial do ser humano, por meio do desenvolvimento de seu entendimento, sua intuição e sua vontade, o que permite libertar-se de enfermidades pessoais e sociais, como o egoísmo, o fanatismo, a violência e o materialismo, cumprindo assim os fins e os princípios fundacionais da OINA.

C) A Assembleia Geral valoriza as ações da OINA em colaboração e participação ativa junto a Instituições e organismos públicos e privados.

Convida a continuar nessa linha de promover experiências filosóficas compartilhadas entre seres humanos, de origem, culturas e práticas diferentes, vividas de maneira complementar.

D) Para isso, propõe continuar com o desenvolvimento de grupos de trabalho e ação social que contribuam com a formação e educação em relação à preservação e melhora do planeta Terra e das sociedades humanas, segundo o recomendado pelo Acordo sem precedente adotado em Paris (França), no dia 12 de dezembro, por 195 países, durante a Conferência das Partes, COP 21.

E) A Assembleia Geral aprova as ações realizadas durante o exercício passado pelas distintas organizações e associações vinculadas à OINA em relação à defesa do meio ambiente e à formação filosófica e social, como pode ser comprovado no Anuário de Atividades que se apresenta a esta Assembleia Geral.

Declaração Geral – 2015

ASSEMBLEIA GERAL OINA 2015 – ANTIGA GUATEMALA (GUATEMALA)

DECLARAÇÃO GERAL

A) A Assembleia Geral da OINA reafirma a sua vontade de facilitar o acesso de todos ao conhecimento filosófico e fazer da prática filosófica uma muralha contra a violência e as doenças morais que afetam a sociedade de nosso tempo, promovendo uma renovação ética, com a contribuição vivencial dos valores transcendentais que impliquem uma profunda renovação dos seres humanos.

Portanto, o papel da Assembleia Geral é transmitir não somente uma inspiração ética, mas também promover o desenvolvimento prático de linhas de ação básicas, a fim de plasmá-los em cada uma das associações nacionais participantes da OINA.

Para fazer isso, aconselha às as sociações filiadas à OINA a realização de programas de formação em Filosofia, Cultura e Voluntariado e os mais variados tipos de atividades com sentido filosófico, a fim de promover aprendizagens e ações não só através de atos positivos e construtivos para a sociedade ou a natureza, mas também para aumentar a conscientização sobre a necessidade de prevenir atos nocivos à sociedade ou à natureza.

B) A Assembleia Geral recorda que os Programas de Estudos da OINA, como Escola de Filosofia à maneira clássica, baseiam-se na necessidade de formação dos seres humanos com o propósito de melhorar a sociedade e o ambiente natural, através de uma atitude generosa de restituição social.

C) A Assembleia Geral reconhece a ação da OINA no mundo, e aconselha a continuar com o importante trabalho de ação social e cultural realizado no ano passado e a continuar a colaboração ativa com as instituições e agências públicas e privadas com o fim de potenciar a sinergia necessária entre as organizações que trabalham em prol da filosofia, da cultura e do voluntariado.

Por isso, propõe continuar com o desenvolvimento de grupos de trabalho e ação social que contribuam para a formação e educação dos seres humanos na preservação e melhoria do planeta Terra e das sociedades humanas.

D) A Assembleia Geral aprova as ações realizadas durante o ano passado por várias organizações e associações ligadas à OINA em defesa do meio ambiente e formação filosófica e social, como pode ser visto no Anuário de atividades apresentado a esta Assembleia Geral.

A OINA lembra que as investigações relativas ao conhecimento permitem promover a parte essencial do ser humano, através do desenvolvimento de sua compreensão, intuição e vontade de ser livre do egoísmo, do materialismo, do fanatismo, da violência e da corrupção moral, a fim de ajudar a aumentar a consciência pessoal e coletiva de viver juntos em fraternidade, tal como estabelecido no primeiro dos princípios fundadores da OINA como um dos critérios-chave que podem moldar o futuro da humanidade.

Declaração Geral – 2014

 

Declaração Geral – 2013

A) Tendo em conta que

A desestruturação social que está sendo produzida em muitos lugares do mundo, e a luta de todos contra todos, que deteriora de maneira alarmante as relações humanas.

A Assembleia GERAL manifesta que

Faz-se necessário e urgente recuperar os valores éticos que compõem os pilares da convivência entre os seres humanos, com a finalidade de fomentar a consciência da “grande família que é a humanidade”, e para que essa reflexão não seja mais que uma elucubração sem sentido prático, a OINA deverá fomentar em todas as suas atividades um resgate dos valores permanentes e das virtudes humanas.

B) Tendo em conta que

Todos nós vivemos em um mundo em crise, um mundo de grandes mudanças, tanto ecológica com socialmente.

A Assembleia GERAL

Lembra a todos os países associados e federados à OINA que é necessário uma “reposição ecológica” que denuncie a exploração irracional dos recursos naturais do Planeta, e alerte sobre a industrialização descontrolada que provocou o aquecimento global da Terra, com as consequências nefastas que isso provoca no derretimento das calotas polares e o aumento do nível dos mares e oceanos.

Em termos sociais, deveremos ter em conta que o século XXI será o século das migrações globais em busca de novos horizontes de subsistência, gerando, como consequência, um desarraigamento social e familiar, para o qual Nova Acrópole deve trabalhar de maneira efetiva em todos os países onde desenvolve atividades com o fim de paliar a “desumanização da sociedade”. Portanto, que se intensifiquem os Programas internacionais encaminhados à proteção do meio ambiente, promovendo a colaboração com outras instituições.

C) Tendo em conta que

É urgente realizar propostas que gerem soluções alternativas, que, além disso, coincidam com as recomendadas pelos diversos Organismos Internacionais, com a finalidade de gerar sinergias. Portanto, a OINA volta a manifestar a categórica necessidade de levar a cabo Programas de ação e atividades que fomentem a fraternidade e a tolerância, o conhecimento e o desenvolvimento integral dos seres humanos.

A Assembleia GERAL manifesta-se de acordo

Com que estas ideias relacionam-se intimamente com as três Áreas de Ação, que tanto em termos individuais como sociais, propõe a OINA: a Filosofia, a Cultura e o Voluntariado.

D) Tendo em conta que

O êxito obtido durante esses últimos anos na celebração do Dia Mundial da Filosofia.

A Assembleia GERAL manifesta-se de acordo

Em continuar mantendo as atividades relacionadas com o Dia Mundial da Filosofia promovido pela UNESCO, quando se completa seu décimo Aniversário. Lembrando que esse evento realiza-se, a cada ano, na terceira quinta-feira do mês de novembro, destacando a importância que tem a filosofia em nossa vida cotidiana e a necessidade, como foi declarado anteriormente, de realizar uma reflexão construtiva sobre o mundo e os problemas que afetam a humanidade. Lembrar que dentro da OINA agrupam-se mais de 50 países que recolhem manifestações filosóficas e vitais provenientes de culturas, costumes e línguas diferentes, dando à celebração do Dia Mundial da Filosofia um valor agregado, posto que em cada uma das milhares associações locais, regionais e nacionais que constituem a OINA, desenvolvem-se importantes atividades relacionadas a Encontros, Conferências, Debates Filosóficos, Eventos Artísticos e Culturais.

E) Tendo em conta

As intensas atividades realizadas com a promoção da leitura e constituição dos Clubes de Leitura em diferentes países associados à OINA.

A Assembleia GERAL manifesta-se de acordo

Em continuar com essas atividades, promovendo o gosto pela leitura, especialmente, entre os jovens.

F) Tendo em conta que

Os países mais avançados, tecnologicamente, em astronomia já detectaram e avisaram sobre a iminência, neste ano, de uma das tempestades solares de radiações eletromagnéticas mais explosiva dos últimos séculos que se tem registros científicos, assim como a aproximação do que a NASA tem chamado de Near Earth Object como grupo de asteróides, cuja passagem perto da Terra pode ocasionar desastres naturais.

A Assembleia GERAL manifesta-se de acordo

Em tomar as precauções necessárias e refletir como filósofos e cidadãos sobre as relações entre nosso Planeta e o Sistema Solar, em seu conjunto.

Declaração Geral – 2012

A) Assembléia Geral da Organização Internacional Nova Acrópole (OINA), em sua reunião anual de 2012, na cidade de Guarulhos/SP (Brasil), deseja ressaltar enfaticamente e resolve continuar este ano com o desenvolvimento de seus três pilares que constituem a filosofia, a cultura e o voluntariado.

Reconhecendo a necessidade de fortalecer os laços de solidariedade, a Assembléia Geral da OINA entende que a filosofia constitui uma via de conscientização que permite às pessoas o acesso à compreensão da condição humana; que a cultura fortalece a aproximação das diferentes manifestações de conhecimento dos distintos povos que enriquecem nosso planeta; e que o voluntariado se confirma como um método válido de colaboração social que nos integra no amor ao próximo, como uma via prática para alcançar maiores níveis de ajuda, a fim de desenvolver programas que fomentem o diálogo e a convivência.

Recomenda a todas as Associações Culturais Nova Acrópole, federadas à OINA, que intensifiquem suas atividades nesses três âmbitos da filosofia, da cultura e do voluntariado, tal como até o presente, mas fortalecendo esses métodos de ação frente à crise atual, que assola o planeta de maneira global ,e onde essas três vertentes de ação humanitária podem colaborar para aliviar um pouco a dor gerada pela crise.

B) Como já frisamos em ocasiões anteriores, a Assembléia Geral da OINA entende que a crise econômica e social, que invade de maneira alarmante a Comunidade internacional, tem sua raiz mais profunda na crise de valores morais e éticos.

Reconhecendo que tal como se mostra nos informativos elaborados pela Organização das Nações Unidas, uma crise de dimensões globais está afetando o planeta e faz balançar os bancos, as grandes companhias, as grandes empresas, com efeitos devastadores para os cidadãos de todo o planeta, encarecendo o custo de vida, destruindo empregos, gerando pobreza, sem que pareça se vislumbrar uma saída em curto prazo.

Recomenda ter presente que, muito provavelmente, a raiz desse descaso econômico e social, pelo qual sofre nossa sociedade, tenha suas causas na deterioração do respeito pelos valores morais e éticos dos últimos anos, e que gerou uma via aberta para a corrupção, que afeta os políticos e empresários. Portanto, urgentemente, faz-se necessária uma recuperação dos valores mais elementares, que sustentam o conceito de dignidade humana, e que a OINA, nos diferentes países onde realiza seu trabalho filosófico, pode promover por meio de conferências e atividades públicas que ajudem na conscientização da necessidade de um rearranjo moral em âmbito planetário.

C) Considerando a importância do anuário, publicado em vários países, que por seu intermédio a comunidade internacional pode comprovar o trabalho pautado em valores morais e solidariedade que a OINA realiza em mais de cinquenta países.

Reconhecendo que durante mais de dez anos a publicação do anuário de atividades da OINA converteu-se numa referência internacional de nosso trabalho filosófico, cultural e de voluntariado, e que em numerosas ocasiões nosso apoio e trabalho foram solicitados por autoridades dos diferentes países, onde se desenvolve nossa atividade.

Recomenda continuar com a publicação e difusão do anuário, nas versões impressa e digital, com a finalidade de seguir promovendo valores, sem esquecer a importância da página web internacional da OINA e as páginas web oficiais de cada uma das associações aderentes.

D) Uma vez que que a UNESCO instaurou, durante o mês de novembro, o chamado “Dia Mundial da Filosofia” com importantes implicações nos diferentes países membros desta Organização, e que recomenda sua aplicação no quadro da sociedade civil.

Reconhecendo que a OINA vem desenvolvendo, há vários anos, um forte trabalho nesse sentido, celebrando nos países, onde funcionam suas delegações, atividades específicas para o Dia Mundial da Filosofia, durante o mês de novembro, com importante repercussão local e internacional.

Recomenda seguir com esse importante trabalho de difusão dos valores filosóficos, considerando que o conhecimento filosófico, como uma arte de viver, é um dos pilares fundamentais das atividades da OINA e um modo de fomentar a máxima dos ensinamentos dos clássicos: “conhece-te a ti mesmo”.

E) Considerando que dentro das atividades internacionais realizadas pelos diferentes representantes da OINA, um importante trabalho é a colaboração com órgãos e entidades internacionais, nacionais e locais.

Reconhecendo a importância das atividades realizadas nesse sentido pela OINA, destaca a atividade de dezembro de 2011, diante do Conselho Permanente da Organização dos Estados Americanos (OEA), apresentando suas recomendações para o fortalecimento de uma cultura democrática nas Américas, no marco do décimo aniversário da Carta Democrática Interamericana. Considerando que a OINA se faz presente em vinte dos trinta e cinco países membros dessa Organização, e que se encontra registrada como Organização da Sociedade Civil perante a OEA no Chile.

Recomenda continuar com esse importante trabalho, não apenas no regionalmente no marco da Organização dos Estados Americanos, mas ampliá-lo também ao contexto da Organização das Nações Unidas, na qual a OINA pode realizar um trabalho de aprofundamento no diálogo da sociedade civil e a convivência dos cidadãos.

F) Considerando que a população mundial passou de seis bilhões de habitantes, no ano de 2000, para sete bilhões no final de 2011, e que diante desse crescimento exponencial a capacidade de alimentação e segurança para os seres humanos se faz cada vez mais complexa.

Reconhecendo que as zonas de maior densidade populacional concentram-se, principalmente, nos países em desenvolvimento, onde a pobreza e a fome constituem males endêmicos.

Recomenda às associações aderentes à OINA que intensifiquem seu trabalho de ajuda social e apoio às classes mais desfavorecidas, com a finalidade de amenizar os grandes desequilíbrios que assolam o ambiente em que se trabalha, aplicando os critérios de subsidiariedade, com base nos quais se possam dar melhor cobertura às necessidades sociais mais próximas de cada uma das associações, considerando a vantagem de que as atividades da OINA se desenvolvem em mais de cinquenta países, distribuídos nos diferentes continentes.

G) Recordando a terrível catástrofe natural que afetou o Japão em março de 2011, com dupla vertente de um  terremoto e um tsunami, que devastou em poucas horas grande parte do noroeste do país, provocando, como consequência, um vazamento radioativo na Central de Fukushima.

Reconhecendo a necessidade de prever, dentro do possível, esse tipo de catástrofe natural, que dia a dia está se fazendo mais evidente em todo o planeta, o que está colocando em evidência a fragilidade de nosso ambiente.

Recomenda ter muito presente, em todas as sedes de Nova Acrópole, os sistemas de proteção e segurança ante tais contratempos, e realizar de maneira periódica simulações de evacuação com o fim de estar alerta ante essas situações de emergência, e colaborar também com outras organizações para criar uma rede de proteção para os cidadãos, nos lugares onde funcionam nossas sedes.

H) Considerando que a UNESCO chamou o ano 2012 de Ano Internacional da Leitura, torna-se particularmente apropriado o fomento da arte de ler entre as diferentes camadas da população.

Reconhecendo que, pela leitura, os povos avançam por meio do cultivo da cultura até melhores e maiores graus de conscientização de cidadania e humana.

Recomenda o fomento da leitura nos diferentes países aderentes à OINA, e a criação de “Clubes de Leitura”, com os quais se pode aproveitar as magníficas bibliotecas que nossas sedes possuem, servindo desse modo, como um estímulo ao conhecimento e dando, além disso, um uso prático e social.