Bem vindo(a)! Você pode filtrar informações específicas da sede mais próxima de você, através da caixa à direita:

A vocação é uma questão social

Nova Acrópole / Artigos / A vocação é uma questão social
Categoria:

A vocação é uma questão social, política e humana que pode fornecer soluções científicas e filosóficas de principal interesse.
Filosofia e educação correspondem a duas caras de uma mesma moeda. A política, os problemas sociais e humanos, os desafios do conhecimento, a concepção antropológica do homem, a cosmologia, etc, resolvem-se na educação, que ao mesmo tempo inspira-se em modelos filosóficos.
A questão é que essa realidade filosófica-educacional não pode ser canalizada de forma intelectual, mas vocacional. O erro dos intelectuais, ao considerar que somos todos iguais, reforça as propostas demagógicas de uma justiça social que não existe. As sociedades atuais debatem-se como náufragos num mar de problemas sem solução.
Gostaria de entender, ou que alguém me explicasse, porque consideram que igualdade é sinônimo de justiça. Por acaso não pode existir justiça entre diferentes? Somos realmente todos iguais? Por que então uns tem mais facilidade para fazer certas coisas e outros para fazer outras? Por que existem tantas tendências diferentes entre cada um de nós e os demais? Por que existem circunstâncias tão diferentes entre uns e outros?
As teorias modernas nas diferentes áreas do saber são contestadas por outras, totalmente opostas em virtude dos interesses que as financiam. Em termos intelectuais, podemos inverter todas as coisas e depois voltá-las ao lugar. O que ontem era aceito, hoje está obsoleto e o que hoje é aceito não dura muito, pois não se sustenta perante tanta injustiça e problemas sociais.
Em termos vocacionais, a vida humana possui uma plataforma de sustentação muito diferente. A classificação por gêneros e espécies é necessária para tratarmos de forma correta os animais, plantas e flores, minerais etc, mas quando se trata do homem todas as classificações fracassaram, pois respondem a preconceitos, racismos, segregação, etc.
Porém, como podemos estudar o homem, como podemos educá-lo, levá-lo a uma sociedade mais justa e melhor sem nenhum tipo de ordem, metodologia e planejamento?
Para conhecer as diferentes naturezas entre os seres humanos, podemos usar o estudo das vocações, pois respondem a essas diferentes naturezas e mais ainda, as vocações também respondem as necessidades sociais de sobrevivência, de aperfeiçoamento, o que elimina qualquer tipo de preconceito ou de tratamento injusto, já que em termos reais um sapateiro vale tanto quanto um médico, um cozinheiro vale tanto quanto um engenheiro. O que distingue um profissional de outro é apenas sua qualidade superior e isto depende de uma educação vocacionada em função da natureza de cada um.