Bem vindo(a)! Você pode filtrar informações específicas da sede mais próxima de você, através da caixa à direita:

O Caminho do Inca – Uma aventura arqueológica

Nova Acrópole / Artigos / O Caminho do Inca – Uma aventura arqueológica
Categoria:

O Editorial Nova Acrópole e a Revista Esfinge patrocinam, juntamente com outras prestigiadas empresas, a expedição “O Caminho do Inca”, um projeto pessoal de dois de nossos principais colaboradores, Juan Adrada e Elvira Solano, que forma parte de um vasto plano de grandes expedições por todo o mundo que esse casal, castelhano por adoção, vem realizando desde 1993. Com a recente incorporação de nosso corresponsável Marcos Valenzuela, completa-se a equipe de expedicionários que realizaram essa aventura no mês de março de 2006.

Com “O Caminho do Inca” nossos três protagonistas solitários, equipados somente com o que puderam transportar eles mesmos, realizem uma longa viagem de mais de quinze mil quilômetros através da América do Sul, percorrendo estradas, pistas de montanha, navegando em canoa, a pé e a cavalo uma variedade de ecossitemas que variam entre deserto, selva e as grandes cordilheiras montanhosas, e que abarcam oitenta por cento dos tipos climáticos do planeta.

A motivação de semelhante empreendimento é fundamentalmente cultural e arqueológica. Pretendemos criar um laço de união entre nações e povos diferentes que compartilham suas influências hispânicas e indígena e uma história comum cuja origem são as grandes culturas e civilizações que se desenvolveram antes da unificação cultural e social do império incaico.

Estar em contato com alguns dos grandes especialistas em arqueologia pré hispânica e documentar através de fotos as ruínas dos grandes monumentos e as jazidas arqueológicas mais importantes das civilizações passadas são os objetivos fundamentais desta expedição, que terá como resultado a recompilação do material didático e gráfico que servirá para a realização de audiovisuais, publicações de artigos, exposições fotográficas e conferências, e será divulgado em uma página web especializada que narrará a experiência da expedição passo a passo: www.estudiosgeograficos .org.

O Império Inca ou Tawantinsuyu foi uma autêntica revolução social e cultural que teve sua origem nas conquistas do quinto Inca, Capac Yupanki, e que chegou a abarcar uma extensão de terreno ainda maior que a do Império Romano, unificando territorialmente culturas e civilizações muito desiguais entre os anos 1200 e 1532 d.C. A importância das comunicações para manter harmônico um império de proporções tão gigantescas deu origem a uma vasta rede de estradas conhecidas com o nome de O Caminho do Inca ou Capac Ñan, que atravessava férteis vales, desertos inóspitos e cumes andinos, chegando até os confins mais remotos.

Na atualidade, ainda se pode percorrer muitos destes velhos caminhos de pedra, cujos fragmentos se conservam em ótimas condições, sobretudo em locais montanhosos e selvagens, afastados da civilização moderna, a maioria dos quais só se pode chegar em veículos terrestres, por rio, a pé ou a cavalo. O Caminho do Inca se estendia ao longo de dez mil quilômetros de estradas pavimentadas de pedra que abarcavam desde o norte do Equador até o Estado de Concepção no Chile Central. Este elo de união entre as diversas culturas pré-hispânicas que pretendemos percorrer e documentar com esta expedição.

A fim de poder aproveitar o melhor clima possível nos quatro países que abarcam atualmente o território do antigo Império Inca – Equador, Peru, Bolívia e Chile-, e tendo em conta que grande parte da expedição se estenderá pela selva amazônica, os desertos de Ocucaje e Atacama, e por zonas de altas montanhas na cordilheira andina, a época mais propícia para esta viagem é o início do outono, que no hemisfério sul coincide com nossa primavera.

A expedição sairá da Espanha até Santiago do Chile ao final deste mês de março de 2006, para retornar, depois de quarenta e cinco dias de viagem, no início do mês de maio. Um total de quinze mil quilômetros percorridos que nos servirão para documentar fotográficamente as ruínas da civilização Inca, suas culturas predecessoras e a posterior colonização espanhola.

Desde o mês de outubro de 2005 foram iniciadas todas as ações previstas, imprescindíveis para começar a viagem. Foram providenciados mapas e guias de todos os países, foram contactadas as embaixadas dos diferentes países da Espanha para conhecer os trâmites necessários em cada fronteira: vistos, permissões de circulação do veículo, seguros, vacinas, etc. Também se adquiriu informação adicional através das redações de várias revistas dedicadas a viagens e com pessoas conhecedoras dos diferentes países.

Conseguir vistos, passagens de avião, documentação e permissão para o veículo, carteira de habilitação internacional, seguros, vacinas contra a febre amarela e malária e certificado internacional de saúde, carteiras de investigadores, licença de publicações, fotografias de carné, cambio de divisas e cartões de crédito são alguns dos trâmites que se tem levado a cabo nestes últimos meses.

Com relação ao equipamento, contactamos a agência de aluguel de veículos National Car Peru para poder dispor de um veículo terrestre que foi transladado a Santiago do Chile antes do início da expedição. Também foi necessário equipar-se com reserva de provisões, galões de água, galões metálicos para gasóleo, mapas e guias de estradas, ferramentas…

A equipe de trabalho está composta por máquinas fotográficas digitais de alta resolução, lente objetiva, tripés e acessórios, sistema de orientação GPS via satélite, computador portátil e telefone celular. Algumas destas ferramentas já estavam em poder de nossos expedicionários e outras tem sido fornecidas pelas firmas patrocinadoras, principalmente Tiendras U.P.I. União Profissional Informática, que também colaboram econômicamente. O equipamento se completa com toda o equipamento pessoal necessário: roupas, equipamento de limpeza, equipamento de camping, redes, equipamento de cozinha, caixa de primeiros socorros, purificação de águas, equipamento de orientação e sobrevivência, e um longo etecétera.

Nossos aventureiros contam com a ajuda de prestigiosas empresas que tem prestado seu apoio e com outras que lhes tem facilitado equipamentos, serviços e apoio econômico. Lan.com e suas filiais Lan Chile, Lan Peru e Lan Equador forneceram as passagens de avião desde Madrid, necessárias para fazer a ligação com o continente americano e realizaram o transporte aéreo de todo equipamento.

A agência National Car Peru de aluguéis de veículos proporcionou um veículo terrestre e se encarrega de seu transporte ao ponto de partida e também do ponto de chegada, assim como a documentação necessária para os trâmites alfandegários em cada país.

A Loja U.P.I. União Profissional Informática lhes proporcionou equipamento fotográfico, de informática e de telefonia com os quais poderão estar em contato com os meios de comunicação constantemente e transmitir periodicamente textos e fotografias para a página da expedição na internet., além de uma importante ajuda financeira.

O principal aporte econômico provém das empresas Eberlin Spa & Wellness, pioneira em técnicas de balneoterapia e instalação de SPA; Viagens Terra Nostra e seu portal de viagens www.viajarporelmundo.com; e nossa própria empresa editorial NA Edições e a revista cultural Esfinge, que se encarregará da publicação de fotografias, entrevistas, artigos e materiais de investigação.

As grandes lojas especializadas na venda de livros, discos e filmes FNAC, com sedes em toda Espanha, cedeu seus salões de Madrid para a apresentação de exposições e publicações relacionadas com o projeto. Nestes salões tem lugar em meados de fevereiro o círculo da imprensa que tem dado a conhecer os preparativos da expedição aos meios de comunicação em geral.

Quanto a nossos protagonistas, o casal Juan Adrada e Elvira Solano residentes em Chinchilla de Montearagón, em Albacete, de onde se mudaram depois de um longo periplo por Sevilla, Cáceres, Barcelona, Valladolid e Madrid. Ambos gozam de uma ampla experiência em esportes de aventura como montanhismo, submarinismo e espeleologia, e na organização de viagens longas, em condições difíceis, que lhes tem levado aos cinco continentes.

Com formação militar profissional, Marcos Valenzuela foi o último a se incorporar na equipe de expedicionários. Excelente informático, master em administração de redes Microsoft e Novell, foi coordenador de informática do Destacamento JECONTAIR do Exército do Ar destinado a Kabul, Afeganistão, onde participou na missão de ajuda humanitária. Viajante incansável, sua necessidade de ajudar aos mais necessitados lhe tem vinculado recentemente ao grupo GEA de busca e resgate, primeiro grupo espanhol treinado para atuar em situações de catástrofe, com o qual colabora ativamente. Na atualidade trabalha como corresponsável de nossa revista.

Educador, escritor e investigador, Juan Adrada é colaborador habitual da revista Esfinge, tendo mais de uma centena de artigos publicados e muitas fotografias, produtos de suasviagens. Viaja desde os dezesseis anos, primeiro pela Espanha e Europa, e mais tarde por todo o mundo, às vezes em condições muito difíceis e sempre de maneira independente.

Elvira Solano é empresária. Dedicada inicialmente ao mundo da moda, sua paixão pelas viagens a levou a optar há algum tempo pelo turismo e as viagens como profissão, primeiro como organizadora logística no desenvolvimento de viagens de aventura pelo Oriente Médio, África e América Latina, e mais tarde como guia turística. Na atualidade é diretora de Viagens TerraNostra e proprietária de um dos portais pioneiros na venda de pacotes turísticos pela Internet na Espanha.

Ambos tem protagonizado muitas aventuras parecidas com esta, entre as que cabe destacar a “Expedição Mare Nostrum”, patrocinada pelo Consórcio Cultural Albacete e os hipermercados Eroski. Durante mais de 3 meses a expedição percorreu doze países na bacia mediterrânea a bordo de um veículo terrestre para documentar fotograficamente as ruínas das grandes civilizações que deram origem a cultura ocidental.

Espanha, França. Itália, Grécia e Europa, atravessando os Dardanelos para chegar a Asia Menor e percorrer a Turquia, Síria, O Líbano, Jordânia e Israel, regressando pelo norte da África cruzando pela península do Sinai e o canal de Suez até o Egito, atravessando depois Líbia e Túnez, onde embarcaram rumo a Marsella, e, por fim, de novo a Espanha. Uma aventura cheia de peripécias com mais de vinte mil quilômetros percorridos por estradas e caminhos, que lhes levaram a visitar jazidas arqueológicas tão famosas como Pompéia, Pestum, Tróia, Éfeso, Hatusa, Gordiom, Palmira, Petra, Qumram, Jericó, Mênfis, Tebas, Cirene, Leptis Magna ou Cartago. No total, mais de cem lugares conhecidos por sua importância histórica e arqueológica, que são a origem da nossa civilização mediterrânea.

Em 1 de Março inaugurou em Madrid a exposição “Culturas do Mediterrâneo”, da que daremos toda a informação em nosso próximo número, e na que se exibirão os melhores trabalhos fotográficos surgidos desta expedição. Outras expedições destacadas deste casal de aventureiros foram a “Expedição Pakal”, onde percorreram a Mesoamérica ao longo de nove mil quilômetros; a “Expedição Rapa Nui”, na famosa Ilha de Páscoa, no Pacífico Sul; o “Abaixo do céu de Nut”, um longo trajeto percorrido pela estrada desde Alexandria, na costa mediterrânea, até próximo da fronteira com o Sudão na Alta Núbia, e que lhes levou até o coração da milenária civilização egípcia.

Entre seus próximos projetos está o de percorrer a “Rota da Seda”, sua mais ambiciosa expedição, prevista para 2007. Seguindo o exemplo de Marco Polo e dos comerciantes da antiguidade, a expedição partirá de Veneza, navegando pelo mar Mediterrâneo até Estambul, como fizeram os navios que buscavam as aprecidadas especiarias do Oriente. E daí até Pequim em um veículo terrestre que cruzará o continente asiático de um lado a outro atrvés da Turquia, Irã, Turkmenistão, Uzbequistão, Afeganistão, Taikistão e toda a China de leste a oeste.

Todos os interessados em manter contato com nossos expedicionários ao longo de sua viagem por “O Caminho do Inca”, o podem fazer constantemente através da web www.estudiosgeograficos.org , onde obterão informações exatas sobre os acontecimentos da viagem. Ao longo de toda a expedição serão publicada na internet fotografias e textos com os pormenores atualizados periodicamente desta aventura, e nossos viajantes manterão contato direto com seus leitores mediante um chat incorporado na própria página, através do qual será possível falar com eles em determinadas horas previamente notificadas, em qualquer lugar do mundo. Também podem escrever à direção eletrônica info@estudiosgeograficos.org com o qual manterão correspondência todos os dias da expedição.

Como em ocasiões anteriores, uma vez finalizada a aventura ao longo de todo ano de 2006, nossos expedicionários darão palestras e conferências, organizarão novas exposições e participarão em numerosas atividades culturais por toda Espanha, divulgando assim todo o material didático e fotográfico que tenham recompilado.