Bem vindo(a)! Você pode filtrar informações específicas da sede mais próxima de você, através da caixa à direita:

Ciclo de Cultural: a Filosofia no Cinema

Nova Acrópole / Ciclo de Cultural: a Filosofia no Cinema
Ciclo de Cultural: a Filosofia no Cinema

Ilha do Governador - Rio de Janeiro

Categoria:

A Organização Internacional Nova Acrópole – sede Ilha do Governador, promoveu entre os dias 23 e 26 de Outubro, um ciclo de Palestras sobre “Filosofia no Cinema”. Que a sétima arte é uma de forma de entretenimento todos já sabem, mas ela tem uma função importante de reviver ideias que estão fora do tempo e do espaço.

A primeira obra tratada foi a série ‘Senhor do Anéis’, com a palestrante Natália Tourinho. Fruto dos livros escritos por J.R.R Tolkien, os três filmes tratam da saga do herói. Dirigida por Peter Jackson, a série foi um dos grandes sucessos em bilheteria e em crítica. Do ponto de vista filosófico é importante notar que assim como mitos ocidentais como Hércules e Aquiles, ou ocidentais como Arjuna, o ‘Frodo’ – personagem principal da série interpretado pelo Elijah Wood -, é acima de tudo alguém que está superando a sua condição em busca de algo maior; é a própria saga do herói, que vai viver desafios inerentes à própria vida e a caminhada.

Outra série, do início dos anos 2000, que também foi sucesso de bilheteira, ‘Matrix’, apresenta uma abordagem atual e uma linguagem bem filosófica. Os longas traçam a trajetória do próprio Ser Humano que se dá conta de sua condição, e passa a ter um olhar sobre a natureza das coisas, como explica o professor Júlio Mesquita.

“O personagem principal, o ‘Neo’, representa aquele que está buscando respostas para o mundo em que vive, porque vê algo errado e não sabe o que é. Naquela cena das pílulas vermelha e azul, ele toma uma decisão: seguir o caminho que levará à essas respostas”, afirmou Mesquita.

Para encerrar a semana de palestras, o conferencista Matheus Grohs trouxe reflexões sobre a série ‘Stars Wars’. Ao longo dos filmes, o tema do herói que tem que escolher, mais uma vez se fez presente. Para Matheus Grohs essas escolhas motivam as ações.

“A questão de que é possível ser um herói cotidiano, mas é importante que aprendamos o que motiva nossas ações. As que são motivadas pelo medo, egoísmo, raiva, nos guiarão para um caminho sem luz, o que no filme chamam de ‘lado negro’ da força”, constatou Grohs.

A Organização Internacional Nova Acrópole existe há 60 anos e está presente em 60 países, trabalhando em prol de um ideal de valores permanentes que favoreça a evolução individual e coletiva, por meio de suas linhas de ação em Filosofia, Cultura e Voluntariado.Ciclo de Cultural: a Filosofia no Cinema

Ciclo de Cultural: a Filosofia no Cinema

Tags: Palestra