Bem vindo(a)! Você pode filtrar informações específicas da sede mais próxima de você, através da caixa à direita:

O ser humano e seus potenciais foi tema de Aula Aberta

Nova Acrópole / O ser humano e seus potenciais foi tema de Aula Aberta
O ser humano e seus potenciais foi tema de Aula Aberta

São Leopoldo

Categoria:

“Conhece-te a ti mesmo”. Esta máxima escrita no templo de Apolo, em Delfos (Grécia), sede de um famoso oráculo, fez com que o filósofo Sócrates a transformasse na chave-mestra de seu pensamento, a base de toda a sua reflexão filosófica. Daqueles longínquos tempos até os agitados dias de hoje, marcados por grandes avanços tecnológicos, este aforismo parece ter sido esquecido por uma grande parcela da humanidade.

No entanto, trata-se de uma questão atemporal – e crucial – que se constitui no primeiro aspecto a ser trabalhado ao pensarmos nos potenciais do ser humano.

Esta foi a proposta da educadora Bárbara Kimiuk Sinigaglia, professora da Organização Nova Acrópole de São Leopoldo, ao abordar o tema O ser humano e seus potenciais, em duas aulas abertas, ministradas nos dias 13 e 14 de março corrente.

Bárbara enfatizou que a estrutura humana é complexa, heterogênea, cíclica e não linear. O ser humano tem de lidar com vários aspectos, tais como culpa, angústia, revolta, entre outros, porque conhece pouco de si e está em conflito com sua posição no mundo. “Observo muitas pessoas criticando as demais, esquecendo que antes de tudo é preciso estar em conformidade consigo mesmas”, relata.

Segundo ela, cada pessoa pode escolher o que quer ser, definindo o quanto de esforço empreenderá para conquistar sua meta; seu propósito de vida.

E em se tratando de sociedade, onde entram aspectos de convivência, fraternidade, justiça, amor, etc., lidar com tantas variações, como define Bárbara, exige uma mudança de paradigmas: “Quando começo a enxergar a vida sob o ângulo de quem eu quero ser, tendo metas claras, vou lidar melhor com os desafios que as circunstâncias exigirem. À medida que me transformo posso transformar o mundo a minha volta. Só poderá gerar justiça o indivíduo que possuir senso de justiça interno, ou de beleza, ou de amor, etc. Daí a necessidade de mudança de paradigma”.

A professora observou ainda, que as circunstâncias ao nosso redor são oportunidades para nos conhecermos melhor. São nossas aliadas. Mesmo as adversas podem contribuir para o desenvolvimento. “Os estóicos, por exemplo, não temiam a adversidade porque – através do aprendizado que esta proporcionava – eles tornavam-se pessoas melhores”, afirma.

A humanidade já experimentou, ao longo dos anos, circunstâncias como corrupção, desenvolvimento, fome…, por isso existem modelos que podem ser conhecidos para transformar situações como estas. A Filosofia é um instrumento para buscarmos estes modelos e aplicá-los na nossa existência. Isto é o que chamamos de Filosofia à Maneira Clássica.

Bárbara frisou que ativar potenciais humanos exige compromisso, dedicação e esforço: “Nenhum ser humano deveria abrir mão de descobrir seu propósito existencial, viabilizá-lo, e fazer do seu lugar a melhor expressão de si mesmo. Escolas como a nossa auxiliam nesta busca. Se cada ser humano encontrar o seu potencial e o realizar, o mundo se transformará. Vamos valorizar a própria condição humana, não deixando passar a esmo esta existência”.

O ser humano e seus potenciais foi tema de Aula Aberta

Tags: Diálogos | Palestra