Bem vindo(a)! Você pode filtrar informações específicas da sede mais próxima de você, através da caixa à direita:

Ciclo Nacional de Palestras Pierre de Coubertin: A Importância das Cerimônias no Esporte e na Vida

Ciclo Nacional de Palestras Pierre de Coubertin: A Importância das Cerimônias no Esporte e na Vida

São Paulo - SP - Jardim Paulista

Categoria:

Foi nesta quinta-feira, 08 de agosto, que a Organização Internacional Nova Acrópole – sede São Paulo, fez uma palestra e homenageou o idealista que resgatou os Jogos Olímpicos na Era Moderna: Pierre de Coubertin.

A palestrante Fabíola Demétrio de Oliveira apresentou ao público o tema “A Importância das Cerimônias no Esporte e na Vida”, e falou da relevância de enxergarmos a filosofia como um modo de vida. “Para compreender a vida, é importante compreendermos e refletirmos sobre as Leis da Natureza”, pontua. “O Homem se apartou da Natureza, e hoje se sente como sendo uma peça separada e é, justamente esta desintegração, um dos principais fatores que nos impedem de vivermos em cerimônia. O ser humano se sentindo o centro do universo, perde a sua naturalidade, segue o jogo do engano que conhecemos como egoísmo”, completa.

Fabíola trouxe a relação que existe entre os macro e microciclos, e citou as estações do ano e suas características, que ora se expandem e ora se recolhem. Ressaltou que no outono é o momento de purificar e deixar cair as “folhas secas” e, no inverno, há uma necessidade de recolhimento da vida física, mas com toda a potência em expansão da vida espiritual. Já na primavera, o florescimento e, no verão, acontece o ápice da força física.

“Percebi que se soubermos utilizar dessas forças da natureza, poderemos viver melhor e nos integrar com nossa própria natureza humana”, comenta Lucas, que assistia a conferência.

Também apresentou o ensinamento da Lei do Eterno Retorno, sempre citada pelos filósofos à maneira clássica, que indica o processo evolutivo da consciência humana, onde a Natureza sempre nos traz mais uma oportunidade para aprendermos sobre quem nós somos, de onde viemos, qual o sentido da vida e para onde estamos indo.

“Nosso papel é sempre o de voltar a reconhecer essa essência natural, nos sentirmos parte da Natureza, nos enlaçar de novo, como um elo na corrente da vida e, por meio desta relação sagrada, compreender a importância do aspecto cerimonial em todas as circuntâncias”, finaliza.

 

 

Tags: Palestra