Bem vindo(a)! Você pode filtrar informações específicas da sede mais próxima de você, através da caixa à direita:

Filme “Matrix” é tema de diálogo

Nova Acrópole / Filme “Matrix” é tema de diálogo
Filme “Matrix” é tema de diálogo

Taubaté

Categoria:
A Organização Internacional Nova Acrópole – sede Taubaté, promoveu no sábado, dia 11 de junho, às 19h, uma atividade de vídeo comentado. O filme escolhido para esta ocasião foi Matrix, um filme de 1999, dirigido pelos irmãos Wachowski, e estrelado por Keanu Reeves e Laurence Fishburne. Matrix é uma obra de arte multimídia; a história inteira do universo Matrix está presente nos 3 filmes, em 9 desenhos animados, em histórias em quadrinhos e no jogo eletrônico Enter the Matrix.
Thomas A. Anderson é um entre os milhões de seres humanos adormecidos. Neuralmente conectado a um mundo virtual conhecido como Matrix, ignorava que o mundo em que vivia é diferente do que parece. Anderson, também conhecido como Neo, é contatado por Morpheus, um famoso hacker, e lhe é oferecida a opção de se manter na sua vida cotidiana ou ver a realidade e aprender o que é a Matrix. Aceitando aprender mais, ele toma uma pílula que o desperta para uma realidade que não é bem a que ele esperava: o mundo está dominado por máquinas e tudo aquilo que Neo vivera até então não passava de uma espécie de sonho muito lúcido.
O filme é abertamente inspirado no Mito da Caverna, do filósofo grego Platão. Neste Mito, apresentado no livro A República, Platão ilustra uma situação hipotética na qual alguns seres humanos vivem todas as suas vidas dentro de uma caverna e a única visão a que tem acesso, por estarem todos acorrentados de costas à entrada, é uma parede, na qual são projetadas sombras do mundo lá fora. O questionamento que Platão promove é: teriam essas pessoas a capacidade de discernir o que é a realidade?
Após a exibição, foi aberto um diálogo com o público assistente, moderado por Daniel Taboada e Jimy Lobato, para refletir sobre os conceitos de realidade e destino apresentados pelo filme.
“Será que estamos destinados a sermos grandiosos? A vida é somente essa sucessão de fatos cotidianos e sem aparente importância? O que é a realidade: aquilo que sentimos ou aquilo que pensamos?”, foram algumas das questões apresentadas. Dentre as conclusões, chegou-se a de que o ser humano tem o poder de ser arquiteto do seu próprio destino e que é difícil falar sobre o que é realidade, se levarmos em conta apenas os nossos sentidos físicos e que, portanto, ela possivelmente é maior do que o que conhecemos.
O vídeo comentado é uma atividade que tem como propósito aproximar as pessoas de valores atemporais retratados em obras selecionadas. Em Taubaté, esta atividade é promovida todos os meses, gratuitamente.
Tags: Diálogos