Bem vindo(a)! Você pode filtrar informações específicas da sede mais próxima de você, através da caixa à direita:

Comparar-te a um Dia de Verão? – William Shakespeare

Nova Acrópole / Poemas e Contos / Comparar-te a um Dia de Verão? – William Shakespeare
Categoria:
Comparar-te a um Dia de Verão? – William Shakespeare

Comparar-te a um dia de verão?
Há mais ternura em ti, ainda assim:
Um maio em flor às mãos do furacão,
O foral do verão que chega ao fim.
Por vezes brilha ardendo o olhar do céu;
Outras, desfaz-se a compleição doirada,
Perde beleza a beleza; e o que perdeu
Vai no acaso, na natureza, em nada.
Mas juro-te que o teu humano verão
Será eterno; sempre crescerás
Indiferente ao tempo na canção;
E, na canção sem morte, viverás:
Porque o mundo, que vê e que respira,
Te verá respirar na minha lira.

Comparar-te a um dia de Verão? - William Shakespeare



Nota biográfica

William Shakespeare nasceu em Stratford-upon-Avon, em 1564, e faleceu no mesmo local, em 23 de abril de 1616. Foi um poeta, dramaturgo e ator inglês, tido como o maior escritor do idioma inglês. Suas peças foram traduzidas para todas as principais línguas modernas e são mais encenadas que as de qualquer outro dramaturgo. Muitos de seus textos e temas permanecem vivos até os nossos dias, sendo revisitados com frequência, especialmente no teatro, na televisão, no cinema e na literatura.

 


Se alguma das imagens usadas neste artigo violar direitos autorais, favor entrar em contato conosco.