Bem vindo(a)! Você pode filtrar informações específicas da sede mais próxima de você, através da caixa à direita:

Beleza – Almeida Garrett

Nova Acrópole / Poemas e Contos / Beleza – Almeida Garrett
Categoria:
Beleza – Almeida Garrett

Vem do amor a Beleza,
Como a luz vem da chama.
É lei da natureza:
Queres ser bela? – ama.

Formas de encantar,
Na tela o pincel
As pode pintar;
No bronze o buril
As sabe gravar;
E estátua gentil
Fazer o cinzel
Da pedra mais dura…
Mas Beleza é isso? – Não; só formosura.

Sorrindo entre dores
Ao filho que adora
Inda antes de o ver
– Qual sorri a aurora
Chorando nas flores
Que estão por nascer –
A mãe é a mais bela das obras de Deus.
Se ela ama! – O mais puro do fogo dos céus
Lhe ateia essa chama de luz cristalina:

É a luz divina
Que nunca mudou,
É luz… é a Beleza
Em toda a pureza
Que Deus a criou.

Os cinco sentidos - Almeida Garret

Nota biográfica 

João Baptista da Silva Leitão de Almeida Garrett, mais tarde 1º Visconde de Almeida Garrett, nasceu em Porto, em 4 de fevereiro de 1799 e faleceu em Lisboa, em 9 de dezembro de 1854. Foi um escritor e dramaturgo romântico, orador, par do reino, ministro e secretário de estado honorário português. Grande impulsionador do teatro em Portugal, uma das maiores figuras do romantismo português, foi ele quem propôs a edificação do Teatro Nacional de D. Maria II e a criação do Conservatório de Arte Dramática.

 

Se alguma das imagens usadas neste artigo violar direitos autorais, favor entrar em contato conosco.