Bem vindo(a)! Você pode filtrar informações específicas da sede mais próxima de você, através da caixa à direita:

Mudam-se os tempos, mudam-se as vontades – Luís de Camões

Nova Acrópole / Poemas e Contos / Mudam-se os tempos, mudam-se as vontades – Luís de Camões
Categoria:
Mudam-se os tempos, mudam-se as vontades – Luís de Camões

Mudam-se os tempos, mudam-se as vontades,
muda-se o ser, muda-se a confiança;
todo o Mundo é composto de mudança,
tomando sempre novas qualidades.

Continuamente vemos novidades,
diferentes em tudo da esperança;
do mal ficam as mágoas na lembrança,
e do bem (se algum houve), as saudades.

O tempo cobre o chão de verde manto,
que já coberto foi de neve fria,
e, enfim, converte em choro o doce canto.

E, afora este mudar-se cada dia,
outra mudança faz de mor espanto,
que não se muda já como soía.

Mudam-se os tempos, mudam-se as vontades - Luís de Camões




Nota biográfica

Luís Vaz de Camões nasceu em Lisboa, Portugal, em 1524. Foi uma das maiores figuras da literatura lusófona e um dos grandes poetas da tradição ocidental. A sua obra magna, Os Lusíadas, é considerada a epopeia portuguesa por excelência. Camões foi louvado por diversos luminares não-lusófonos da cultura ocidental.





Se alguma das imagens usadas neste artigo violar direitos autorais, favor entrar em contato conosco.
Crédito da imagem destacada: Masakasu Matsumoto