Bem vindo(a)! Você pode filtrar informações específicas da sede mais próxima de você, através da caixa à direita:

Sou eu! – Florbela Espanca

Nova Acrópole / Poemas e Contos / Sou eu! – Florbela Espanca
Categoria:
Sou eu! – Florbela Espanca

Pelos campos em fora, pelos combros,
Pelos montes que embalam a manhã,
Largo os meus rubros sonhos de pagã,
Enquanto as aves poisam nos meus ombros…

Em vão me sepultaram entre escombros
De catedrais duma escultura vã!
Olha-me o loiro sol tonto de assombros,
as nuvens, a chorar, chamam-me irmã!

Ecos longínquos de ondas… de universos…
Ecos dum Mundo… dum distante Além,
Donde eu trouxe a magia dos meus versos!

Sou eu! Sou eu! A que nas mãos ansiosas
Prendeu da vida, assim como ninguém,
Os maus espinhos sem tocar nas rosas!

 

Não ser - Florbela Espanca


Nota biográfica

Florbela Espanca nasceu em Vila Viçosa, Portugal, em 8 de dezembro de 1894. A poetisa foi batizada como Flor Bela Lobo, e optou por se autonomear Florbela d'Alma da Conceição Espanca. A sua vida, de apenas 36 anos, foi plena, embora tumultuosa, inquieta e cheia de sofrimentos íntimos, que a autora soube transformar em poesia da mais alta qualidade.



Se alguma das imagens usadas neste artigo violar direitos autorais, favor entrar em contato conosco.