Oficina de Cerâmica

Por São Paulo - São Caetano do Sul ABC

Na Nova Acrópole – ABC, no dia 26 de março, foi realizada a primeira aula da Oficina de Cerâmica. A atividade constou de uma parte teórica acompanhada de uma atividade prática para desenvolver o prazer de lidar com esta arte milenar.

O trabalho dos participantes resultou em algumas peças em argila ainda úmida que após secas e queimadas ganharão resistência e durabilidade. “O trabalho em cerâmica começa com a argila, ou seja, o elemento Terra submetido à ação da água para manuseio”,  compartilhou a professora Vera Luz. “Após alguns dias a peça seca é levada a um forno especial. A queima faz os gases, em ciclos de convecção, sinterizarem a peça final, a cerâmica. Cada uma torna-se apta para conter água e resistente ao manuseio. E então, está pronta para servir de adorno”, conclui.

O trabalho em cerâmica é dos mais antigos. É encontrado fragmentos e evidências em todos os sítios arqueológicos das civilizações antigas. Como arte e ofício esteve presente na China, no Japão, entre os Incas, além de muitos outros.

“Que benefício teria em nossa época de aceleração e coisas prontas, voltar os olhos e as mãos para esta arte?”, questiona Vera. “Perdemos o simbolismo, mas não era só uma questão técnica. Estes povos concebiam a argila como algo vivo, pois veio da Terra. Sua modelagem nos 4 elementos também representou uma ação interior para desenvolver paciência, divertir-se, emocionar-se e pôr ali um pouco de carinho. A peça se transmuta, não podemos então fazer o mesmo conosco?”, finaliza.

A iniciativa atende ao propósito vital da Filosofia como arte de viver: gerar atividades práticas em que se entenda o sentido daquilo que se realiza.