Nova Acrópole na Maratona Internacional de Florianópolis

Por Santa Catarina - Florianópolis

No dia 28 de agosto de 2022, filósofos-atletas se desafiaram na Maratona Internacional de Florianópolis. O evento de corrida reuniu aproximadamente 14 mil participantes que competiram nas distâncias de 10km, 21km e 42km. A Nova Acrópole Florianópolis/SC foi representada por oito esportistas que não mediram esforços e entregaram a força do espírito de excelência: aretê, como outrora foi denominado pela civilização grega.

A prova foi símbolo de superação para os filósofos que participaram: três deles na prova de 42km e cinco na de 21km. “Tudo o que foi vivenciado no dia 28 começou a ser construído muito tempo antes. Foram meses de dedicação e treinamento, não apenas para o corpo, mas também para a alma de cada integrante da “Escola do Esporte com Coração” no estado de Santa Catarina”, comentou a professora Sara Fantin, coordenadora da atividade.

Vivenciando uma perspectiva mais profunda do esporte, cada atleta intercalou o seu treino físico com aulas teóricas, revivendo neste caminho a busca do equilíbrio e da harmonia que deve existir entre corpo e alma − método importante segundo o filósofo Platão e que é resgatado pela Nova Acrópole através da prática esportiva. O esporte não é visto apenas como um apreço à estética, mas também como a união de uma verdadeira educação do corpo e da alma. Assim é possível tornar realidade a existência de uma vida ética, pois, segundo Platão, se apenas o corpo estiver treinado, em detrimento da alma, a ética não irá se manifestar na sociedade de forma natural e harmônica. Por isso a ginástica é um dos pilares para o filósofo grego na formação do ser humano.

Nas palavras do atleta Jefferson Yuki, que se desafiou correndo 42km, fica um belo ensinamento: “Treinar para e concluir uma maratona me ensinou muito sobre paciência e ritmo. Ao contrário de corridas mais curtas, a maratona te ensina a não correr só para terminar o mais rápido possível, mas ensina a ter paciência e se manter no ritmo por quanto tempo for necessário.”

Outro atleta, Rafael Engel, que se colocou à prova nos 21km, relata: “Certo dia, em minhas reflexões pessoais, deparei-me com a necessidade de trabalhar de forma mais objetiva duas virtudes: a constância e a perseverança. Em toda atividade que necessita ser mantida por muito tempo, como, por exemplo, construir uma escola de filosofia, essas duas virtudes são fundamentais e, por isso, precisam ser treinadas de alguma forma. Então surgiu a ideia de treiná-las por meio de corridas de longa distância.”

Neste belo evento de corrida, cada filósofo-atleta fez por merecer a glória e a alegria do esforço através do vigor conquistado pela educação do corpo através dos treinos. E colocando o corpo em movimento, cada um pode exercer o sentido de superação e luta, sentindo, na prática, os elementos formativos do esporte.