Sarau de Outono ocorre em comemoração à entrada da nova estação

Por Rio Grande do Sul - Santa Cruz do Sul

No dia 21 de março a Organização Nova Acrópole Santa Cruz do Sul recebeu o Equinócio de Outono com um belo e inspirador sarau. O professor Rafael Ebert iniciou a celebração contando o mito de Perséfone e Deméter que, segundo suas próprias palavras, “conta a simbologia do outono através da descida de Deméter ao submundo, raptada por Hades”.

Além desse momento mitológico inspirador, somou-se ao evento uma dança circular e algumas declamações de poesias, como a poesia intitulada Caminho de Outono, de Fernando Pessoa.

No entardecer da terra,
O sopro do longo outono
Amareleceu o chão.
Um vago vento erra,
Como um sonho mau num sono,
Na lívida solidão.

Soergue as folhas, e pousa
As folhas volve e revolve
Esvai-se ainda outra vez.
Mas a folha não repousa
E o vento lívido volve
E expira na lividez.

Eu já não sou quem era;
O que eu sonhei, morri-o;
E mesmo o que hoje sou
Amanhã direi: quem dera
Volver a sê-lo! mais frio.
O vento vago voltou.

Cada estação é um convite que a generosa Mãe Natureza nos faz. E, no outono, seu convite refere-se ao plantio de novas sementes ou virtudes no nosso terreno interior. Antes disso, recolher as folhas secas, ou seja, as experiências anteriores para que estas sirvam de adubação às novas sementes, se faz necessário.

Essas folhas são uma espécie de bagagem, recheada de ricos aprendizados que trazem perguntas, como: “Quais as sementes escolhemos plantar hoje?”, “Quais as folhas precisam ser recolhidas e que serão indispensáveis à nova brotação de suas virtudes?”. Com reflexões como estas, a Nova Acrópole recebeu o outono em Santa Cruz do Sul.