As idades da vida e a expressão do potencial humano

Por São Paulo - SP - Zona Oeste

“A existência de uma sequência estruturada de fases de desenvolvimento comum à vida de todos os seres humanos reduz a sua experiência ao simples, eterno e repetitivo retorno a um mesmo ponto de partida ou pode ter um significado fecundo, evolutivo, ser experienciado como um processo criativo?” Assim começou a palestra “Idades Esotéricas do Ser Humano”, no dia 17 de janeiro, com Lucas Penna.

Segundo o professor, até mesmo os maiores desafios enfrentados na vida podem ser encarados como uma oportunidade de aprendizado e crescimento capaz de levar a uma vida mais expressiva quando considerados como uma fase dentro de um padrão geral de desenvolvimento.

Na oportunidade ele esclareceu ser possível compreender “as idades da vida” sob perspectivas diferentes, como a psicológica e mítica. Ressaltou o quanto a abordagem mítica da vida nos leva a viver as horas, dias, meses, anos… ciclos maiores e menores de vida de uma forma pedagógica, reconhecendo que para além de todas as similaridades entre eles, há a sutileza daquilo que acontece dentro de cada um desses ciclos que guardam singularidades irrepetíveis, oportunidades únicas de aprendizado e manifestação do potencial humano.

“Ter estas idades como parâmetro pode nos ajudar a concentrar nossas energias a fim de alcançar aquilo que a vida exige de nós em cada uma de nossas idades de desenvolvimento, nos puxando para cima e nos lembrando que estamos aptos a isto, por mais desafiador que possa parecer”, comenta.

Para conhecer melhor o tema, o professor Lucas Penna indicou a obra de Laura Winckler Compreender as Idades da Vida e Encontrar Seu Sentido, da Editora Nova Acrópole.