Bem vindo(a)! Você pode filtrar informações específicas da sede mais próxima de você, através da caixa à direita:

Categoria: <span>Poemas e Contos</span>

Nova Acrópole / Poemas e Contos
A Inconstância dos Bens do Mundo – Gregório de Matos
Post

A Inconstância dos Bens do Mundo – Gregório de Matos

Nasce o Sol e não dura mais que um dia, Depois da Luz se segue a noite escura, Em tristes sombras morre a formosura, Em contínuas tristezas a alegria. Porém, se acaba o Sol, por que nascia? Se é tão formosa a Luz, por que não dura? Como a beleza assim se transfigura? Como o...

As Águas – Machado de Assis
Post

As Águas – Machado de Assis

Do nume da beleza o berço celebrado Foi o mar. Vênus bela entre espumas nasceu. Veio a idade de ferro, e o nume venerado Do venerado altar baqueou: — pereceu. Mas a beleza és tu. Como Vênus marinha, Tens a inefável graça e o inefável ardor. Se paras, és um nume; andas, uma rainha, E...

Musa Consolatrix – Machado de Assis
Post

Musa Consolatrix – Machado de Assis

Que a mão do tempo e o hálito dos homens Murchem a flor das ilusões da vida, Musa consoladora, É no teu seio amigo e sossegado Que o poeta respira o suave sono. Não há, não há contigo, Nem dor aguda, nem sombrios ermos; Da tua voz os namorados cantos Enchem, povoam tudo De íntima...

Deus! – Casimiro de Abreu
Post

Deus! – Casimiro de Abreu

Eu me lembro! Eu me lembro! – Era pequeno E brincava na praia; o mar bramia E erguendo o dorso altivo, sacudia A branca escuma para o céu sereno E eu disse a minha mãe nesse momento: “Que dura orquestra! Que furor insano! “Que pode haver maior que o oceano, “Ou que seja mais forte...

Entra cantando, entra cantando, Apolo – Machado de Assis
Post

Entra cantando, entra cantando, Apolo – Machado de Assis

Entra cantando, entra cantando, Apolo! Entra sem cerimônia, a casa é tua; Solta versos ao sol, solta-os à lua, Toca a lira divina, alteia o colo. Não te embarace esta cabeça nua; Se não possui as primitivas heras, Vibra-lhe ainda a intensa vida sua, E há outonos que valem primaveras. Aqui verás alegre a casa...

Por que Sabemos e não Fazemos?
Post

Por que Sabemos e não Fazemos?

 — O que te inquietas? — perguntou o ancião ao ver seu discípulo, movido pelo fogo do Deus Ares, destruir a golpes de espada uma velha carroça. — Qual é o problema comigo, mestre? — Disse o adolescente em meio a lágrimas e suor. Por que continuo a buscar emoções vulgares? Por que meus braços...

Os Sete Passageiros
Post

Os Sete Passageiros

Em um determinado dia, resolvi fazer uma viagem. Uma viagem sem destino certo. Sai de casa e peguei o primeiro ônibus que encontrei. Como foi uma decisão impulsiva, esqueci de colocar algumas coisas na mala e fiquei preocupado com as dificuldades que poderia encontrar: será que estou levando tudo que é necessário? Será que conseguirei...

Teus Olhos – Esses Carinhos – Cruz e Souza
Post

Teus Olhos – Esses Carinhos – Cruz e Souza

Teus olhos — esses carinhos, Esse casal de ilusões Tão doces como os arminhos, Teus olhos — esses carinhos Parecem ser os dois ninhos Das minhas consolações, Teus olhos — esses carinhos Esse casal de ilusões!… Nota biográfica João da Cruz e Souza nasceu em Nossa Senhora do Desterro em 24 de novembro de 1861....

Mundos Extintos – Euclides da Cunha
Post

Mundos Extintos – Euclides da Cunha

São tão remotas as estrelas que, apesar da vertiginosa velocidade da luz, elas se apagam, e continuam a brilhar durante séculos. Morrem os mundos… Silenciosa e escura, Eterna noite cinge-os. Mudas, frias, Nas luminosas solidões da altura Erguem-se, assim, necrópoles sombrias… Mas para nós, di-lo a ciência, além perdura A vida, e expande as rútilas...

O Aprendiz do Barqueiro
Post

O Aprendiz do Barqueiro

Numa pequena cidade litorânea vivia um menino feliz com sua família. Porém, certo dia seu pai e seus irmãos mais velhos foram chamados pela guerra. Eles não mais regressaram ao lar. O garoto ainda tinha sua mãe e uma irmã pequena. Com muita dificuldade foram tocando a vida, até que sua mãe e a pequena...